Subversões mágicas

Foi ele bater à porta do florista, recebido por um ajudante, ganhou aos ouvidos: entenda as normas da casa, para esse tipo não há financiamento.

Foi ela conferir a manhã no jornal do dia, na ausência de um caderno pôs-se a frente do jornaleiro, de brinde o dito: repara o tempo, não há classificados porque não estamos em época de mercadorias.

Uma criança no colégio. Uma professora frente a um desenho rasga o diploma. Preto no branco, fora da folha as letras estavam coloridas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: