Confessionário Simbólico no.2

"um pedaço de qualquer lugar" "se branco ele for" Passos soltos caminhados. O parque era apenas o parque, vastidão de verde, água fluindo, todo tipo de passarinho e caminho de terra para os pés. Meu velho conhecido, refúgio e canto (há aqui que se entender como convir). Mas se escolhi naquele exato dia estar ali, era... Continuar Lendo →

A Parede das Realizações

Já passara por cima diversas cores, e no engano do não lixar, a preguiça sobrepunha espessas camadas, até os olhos enxergarem cansaço e as mãos pulsarem medo dos estragos. Um fio de palavra conduziu a pausar e respirar por um segundo observando a parede. Malditas exigências brutas de massas!, vinha à cabeça. Mas o fio de palavra... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑