alcances

Indicou-lhe um lugar no alto de uma montanha, entre espessas nuvens de tempestade. Ao pé de uma única árvore, mais nada. Era alto, sabia, embora não visse nada abaixo. Disse-lhe: - Persista aqui, honre tua parte, coragem. - e deixou-lhe, mais nada. Era como uma criança tentando sozinha um dever de casa, e nada mais... Continuar Lendo →

alfabetização: pé-de-perdão

Uma caixa de giz gigante no colo, presente colorido, novo, novinho. Passou o dedo nas cores, sentiu milimetricamente as sutilezas das possibilidades que guardavam. Um vento frio e sonoro de festa junina soprava do outro lado da janela, e mesmo ao estremecer o sentindo, era como se nada mais se infiltrasse, como se nada mais... Continuar Lendo →

aguaria

Existem dias de dissolução: silenciar o caos, desatar despropósitos, abrandar os atos, discernir rios como quem separa joio do trigo: sentar à margem, lavar o coração; roseiras tem espinhos: curar as mãos. Observar o tempo do cultivo, desanuviar os quereres: atuar sobre as próprias escolhas das vontades, bussular direção. Consentir e não consentir. Jamais esperar,... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑