por muito pouco – ou, o ilusório das coisas

Por muito pouco se escolhe as margens. Por muito pouco se deixa à margem. Por muito pouco prefere-se a linguagem do espetáculo, os cenários, as imagens. Por muito pouco portas são rejeitadas, e janelas seguem fechadas pintadas de abertas. Por muito pouco o artificial poupa o trabalho. Por muito pouco desertos e abismos são criados entre... Continuar Lendo →

changes and chances

  Parou bem à porta do portão. A garganta de tanto tempo apertada, por agora se soltava: - Ô de casa! Era seu passe livre. Deixava de lado as chaves da culpa e das dívidas, via tudo como um céu limpo, temporário e livre. Se desencaixotava. - Tô de saída, quer dizer, de chegada. Aquele... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑