changes and chances

 

Parou bem à porta do portão. A garganta de tanto tempo apertada, por agora se soltava:

– Ô de casa!

Era seu passe livre. Deixava de lado as chaves da culpa e das dívidas, via tudo como um céu limpo, temporário e livre. Se desencaixotava.

– Tô de saída, quer dizer, de chegada. Aquele probleminha da retina, que coisa, tá curado. Tentei deixar tudo melhorado, mas vê que remédio pra bem ver não compra na farmácia.

Silêncio do outro lado.

– Olha, de tudo muito obrigada. Mas tem uma estrada ali que só vai existir se meus pés caminharem.

E deixou à tranca do portão um balão de ar vermelhinho, que ao vento se soltava.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: