Em Lis, Sem Pector

Por anos a fio, Clarice!, carreguei aquele seu texto debaixo do braço, e achava, ah, por que achava?, que aquela sua solidão desde o berço, aquele querer pertencer sem conseguir ser, me unia na falta, me amparava, como sua solidão amparava você. Quantas mentiras a gente inventa, Clarice!, para justificar se obscurecer. Quanto castelo de... Continuar Lendo →

infanto-alforrias

Pedro cresceu ouvindo: ah, mas ele gosta tanto de você, não faça assim com ele. Maria, toda vez que chiava, ouvia: você tem que ser boazinha, ele tem problemas. João, toda vez que chorava, mandavam ele tomar vergonha na cara. Sandra, um dia tentou pegar uma borboleta, e sem querer lhe arrancou a asa. Vitor,... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑