Por quebra de regra, quebre…

20121231-194003.jpg

Quanto tempo uma pessoa espera outra pessoa? Vamos lá, considere que uma pessoa não é uma meta, uma pessoa é uma pessoa, um território sem mapa, não um ponto de chegada, conquista ou objeto. E vejamos bem, abaixo os clichês, normas, estereotipos e regras, não estou falando do velho blábláblá que tanto se repete. Estou falando do ponto de equilíbrio, do ir na direção de alguém não pela paixonite, pela sensação de, versus, claro, sempre tem um versus, o fato de haver um limite. Por que fato é, não se espera pessoas nem se espera de pessoas. Uma porta aberta é uma porta aberta. Uma porta fechada é uma porta fechada. E no caso de pessoas, qualquer semi-aberto só pode envolver uma ilusão, queira ou não, goste ou não. Porque quem quer está ali, quem não quer não está. Hummmm… então estamos falando simplesmente do verbo querer.

Outro dia me perguntaram sobre o velho batido e até chato: jogo da sedução, o famoso morde assopra, dá e toma, a sugestão do vai sem vir. Essa dança do estica e puxa, que não envolve, que mais tem cheiro de jogo de poder. Desde adolescente eu me pergunto isso: inventaram isso como sedução por que?! Precisei de muitos anos, aprendizados pessoais e contato com muitas pessoas para esboçar uma resposta, curiosa, modesta e talvez ainda muito pobre: inventaram isso porque são medrosos e confundem afetividade com suas questões egóicas. Antes ter coragem que ter ego, admiro muito, e concordo, com os indianos krishnamurti, Osho, Deepak Chopra. Eles alcançaram respostas, na verdade proposta de condução da afetividade bem mais nobres que nossos sistemas teoréticos de conceituar relacionamentos.

Então voltemos a pergunta que não quer calar, quanto tempo uma pessoa espera outra pessoa? Melhorando a pergunta, quanto tempo alguém se sustenta na direção de uma pessoa simplesmente por sentir que é. Parece bonito, mas não é. Não se espera, não se sustenta, o acreditar que é é só uma projeção do quanto se deseja ser visto, notado, amado. Mas se a pessoa não está ali, se você abriu a porta e nem uma brisa de passo dela entrou, a única coisa que é é o seu sentir, é a sua habilidade de encantar-se, é a beleza que você encontrou em você nesse seu sentir. E, convenhamos, é boniteza demais para ficar sem viver, direcione a quem quer estar com você.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s