Harry wars ring

Todo filme ou história que de fato se propõe a mostrar o confronto entre mal e bem tem um embate final. Harry Potter, Star Wars, Senhor dos Anéis se encontram hoje entre os mais conhecidos. É fácil sorrir em tempo de brisa e céu azulado, é fácil admirar a mágica da leveza colorida das borboletas, é fácil, profundamente fácil, se dizer quem se é fora das tempestades (de varinhas, cósmicas ou de lavas). Mas o que todos mostram é o caminho à tempestade como o tempo de preparo, e todo caminho é feito de escolhas.

O que Harry e seus amigos, Anakin e Lucky, Frodo e Aragorn tem em comum? Nenhum estava preparado para nada, no percurso se preparavam para o próximo passo, todos reviram suas inseguranças e medos, todos em vários momentos se questionaram e sustentaram ou não a direção que seguiam. Harry foi obrigado a amadurecer, seus amigos levados a descobrirem seus poderes. Anakin escolheu se deixar seduzir pelo poder, e como Darth Vader personifica há gerações o mal. Lucky foi guiado por sua devoção em ser em si um jedi. Frodo, tão pequenino, de profunda entrega e persistência. Aragorn e seu embate em não se deixar descrer pelo mundo a volta e reencontrar sua coragem de assumir quem é. Enquanto Anakin não passou para o mesmo lado de Voldemort, ele dispunha da possibilidade de ser livre para escolher ao que aliançar-se.

Alianças, todas elas, qualquer forma de manifestação delas, são definidas pelo o que fala mais forte no interno. Porque alianças são compromissos, e só há como se comprometer com o que fala ao sentido. Harry e seus amigos, Lucky, Frodo e Aragorn, em vários momentos poderiam ter desistido, em diversos passos foram postos à prova, por que como Anakin não sucumbiram? A resposta, talvez esteja numa palavra um tanto quanto esquecida: pureza. E no embate final, doa a quem doer, é ela que reina, nua, despida, verdadeira, sem precisar ser uma realeza.

Certa vez disse um ancião a um menino em seu caminho: cesse o diálogo com suas guerras, ame deliberadamente toda e qualquer flor, pedra ou espinho que te cerque, que o caminho sustenta o caminhante bem abaixo de seus pés.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s