Por ser mulher

A força 

que não bruta

mas labuta

sobre as veias

de um fazer em curso

que não cala

e não seca

e não se esvai ao ralo

mesmo quando a resistência é desértica.

A doçura

que abastece em rega

desde as pequenas coisas

às maiores escolhas

e não se destece

um viver

que é de luta

a ser e desabrochar

o que lhe é direito.

Minha mais profunda gratidão a todas as mulheres que lutaram para que hoje minha geração se veja com um melhor chão para seguir lutando, por isso, que não deveria ser necessário em luta, chamado respeito.

  
*imagem pinterest

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s