Pelo verbo acordar

Acordar: desentorpecimento dos castelos de areia, das zonas de conforto, do hábito de negar a própria alegria e crescimento. Liberdade das adjetivações tolas, críticas, das culpabilizações descabidas, da falta de escolha de escolhas. Porto do cais do verbo aprender. Despir de camarim, demaquilante dos personagens e idéias pré-concebidas que por afeto se acha que se deve ter. Dissolução, entrega, ao verbo ser. Quebra das amarras do apego, das travas autoimpostas por medo de falhar ou perder. Despreendimento das tristezas. Cicatrizante das mágoas. Recusa ao território das banalizações dos gestos brutos, das palavras ácidas, do controle mesquinho, das disputas por fronteiras. Encordoamento para a fina melodia da alta poesia do viver.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s