(Des) Proporções

Era pequena demais, miúda.

No turbilhão das coisas fermentadas, a moça.

Pequena dobra de gentileza

da pétala pendida ao tempo, única.

Era doce demais aos bárbaros,

grossa demais as brisas,

era qualquer coisa na desmedida,

entre o não ser escorregadio quase invisível.

E era forte demais que simples, graúda. Apesar do tudo isso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: