Do ser, a vida

As costas talhadas na dureza do outro, em pedra

torta, fechada, embotada,

rendeu noites inquietas, roucas.

Mas os olhos eram vivos, inesgotável força.

Atravessou ruas, contratempos, foices

na angustia de ser um só

e de só revelou-se não pouco

quando a coragem desconstruiu muralhas, fronteiras, dores.

Matéria de si viva, germinante, doce,

nutrida em si da vida a própria chama

que ao fluxo do sentir reintegrou-se.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: