Entre o Céu e a Terra

O caminho é múltiplo, circular. Entre a paz e a guerra, entre a dança e a inércia, o caos harmônico, a harmonia desorganizadora. Ergue muralhas quem não se dispõe ao movimento, e adormece. Promove ventania quem por domínio em lança se ergue. É próspero o que navega selecionando não carregar o daninho, o ácido, o mesquinho.

Entre o céu e a terra todas as manifestações acontecem, como vasto campo de cultivo, embora alguns vivam presos a hábitos desérticos. Como um solo em preparo, se escolhe as sementes e o uso ou não de venenos. Como uma escola de diversas matérias e classes, se decide ao que se abre, se dedica, se desenvolve. Enquanto alguns negam suas sombras e outros rejeitam sua luz, existe os que reconhecem ambas e assumem seu compromisso por conduzi-las.

Joana queria ganhar, por ganhar, sem sequer considerar a responsabilidade sobre o gesto e o ganho. João temia intensamente libertar seus pés e coração da lama. Ana precisava dizer não para as dominações do outro e sim para realização de sua verdade pessoal. Enquanto Cora trocava de rota, levando acesa sua chama toda vez que a neblina circundava.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: