Sem tato

Acontece da sombra de quem se amou

acordar com os pés enroscados, sentar no sofá de manhã,

tecer uma prosa silenciosa entre goles de café.

Não era para acontecer, mas acontece.

Entra por brechas, por rastros, por lacunas não preenchidas

de alguma falta de verdade, alguma incoerência nada modesta,

ou mesmo de uma mentira muito bem inventada

que tivesse posto o reino do amar fechado.

A sombra fica ali, pairando como um espírito mal resolvido,

uma melodia suspensa, uma xícara quebrada, uma morte prematura,

enquanto os sentidos se postam à escuta, e o coração procura

algum alinhavo de compreensão. Mas a sombra…

a sombra é coisa muda, vai até a cozinha, prepara

uma memória quente, oferece um sanduíche frio de vazio sem música

entornando seu sombreado por todo espaço que um dia coloriu também.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: