Na Íris do Infinito

O finito dentro do infinito
costuras suas curas
como quem trata longas tranças:
paciência, aceitação, ternura.
Dissolve o que puiu por não render,
renova o que se valora por ser.
Quando o céu tem seu canto para assobiar
penetra pela pele não só pelas orelhas
escancara na janela do peito
e são todas as divindades falando à face:

– a vida quer você.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: