De rodar

A roda quando se esvazia
roda a noite da Joana
roda a solidão do João
roda a desesperança da Maria
mingua como fecha um ano
dorme o coração peão
no movimento que silencia,
descostura os passos das pessoas,
deixando em suspensão Sofia:
cheio aceno de mão ao vazio,
vazio burburinho de alegria no chão
até que a roda novamente gire.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: