Fronteiras Temporais

Quando o ano se encerracomo dedos que se abremdizendo: deixa,e outra mão de tempo se estendecomo promessa de bom tatochamando: vem,nada, nada do porvir se sabee tudo, absoluto tudo é possível também.Ao possuir em si a própria estradaa força que te move é leal em si?Quem caminha contigo a estradaatravessa a noite, a curva, a... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑