Todo 6 de agosto…

Incontáveis cachos de doçura levavam comprimentos em voltas

a debruçar pelos ombros de menina entre os olhos redondos de lua,

uma princesa em uma terra distante. Se eu pudesse,

abraçava com toda a gigantesa do céu com as estrelas.

– era esse nosso código, nossa brincadeira de fadas.

Mais um aninho, e a princesa fica mais um cadim de moça grande…

e se faz um dia da vida acordar com um pouco mais de sentido:

porque amor, mesmo em silêncio, brota força na gente.

 

Um peito largo dado a proteger, que eu brincava a chamar de rei criança,

um desbravador paterno fiel a si. Se eu pudesse,

 abraçava feito violão, meu menino grande favorito.

E passava o dia-vida-toda cantarolando e proseando,

inventando histórias de um futuro bom de colher.

Porque há vinte anos me ensina sobre sentimento.

 

6 de agosto talvez me seja o maior dia dos anos:

o melhor amigo e a filha que eu escolheria

nasceram nele.

2 Respostas para “Todo 6 de agosto…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s