Vênus Alada

Não sabia da perfomance das escolhas

a prolongar mais tempo do que cabia

se vendo pouca, pequena, inútil coisa.

Não sabia para si suaves brisas,

doce pousar que lhe valia.

Via-se bruta, amarrotada, poeira tosca,

de si, então, sabia nada.

Até que um vento imperioso

rompendo amarras

quebrou o errôneo espelho torto.

Desabotoada das vestes esmoladas

ao ar revelou-se para altos vôos.

Lá, surpresa em próprias asas,

compreendeu a beleza da liberdade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: