Torácica

Dor é espinha de peixe

cruzada no peito, indigestão.

Farpa no tato da retina, toxina.

Reprise de memória não palatável, contra-degustação.

Há quem se amordace, se envergue,

cultive traça.

Há quem se cale, rumine,

erga muralhas.

Mas há os que se despem, enfrentam

deixando a dor doer até que sare

e seguem libertos, com o sentido aberto

ao próximo passo, a próxima etapa,

a página virada e a mão

firme a se manter em contato

com a vida, com o sentir pulsável, arejável,

ao que encontra ventilação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: